Ansiedade: Quando se preocupar?

Certamente, você já se sentiu, alguma vez, em estado de ansiedade ou já presenciou alguém com essa emoção, não é? A Ansiedade está presente em todos os indivíduos, e é comum acontecer em situações do nosso dia a dia, como uma entrevista de emprego, apresentação de um trabalho, expectativa para datas importantes, realização de exames de saúde e entre outras situações. Ela faz a pessoa se preparar para enfrentar um desafio, porém devemos nos atentar na proporção desta ansiedade, será que está sendo vivenciada de maneira mais frequente e intensa? Essa emoção que é saudável, por sinalizar um “alerta” em nosso cérebro, também pode ser tóxica. Em excesso, ela paralisa, perturba e afeta nossa saúde mental.

Devido ao covid-19, notou-se um aumento de casos de ansiedade no mundo todo, em 2020, isso se deu ao fato de não sabermos o que estaria por vir, não conseguíamos imaginar como seria dali para a frente, víamos um mundo inteiro se isolar, e o sentimento de solidão nos invadir, com medo, angústias, sofrimento, preocupações, morte de familiares e amigos, e outros agentes estressores que contribuem para aumento da ansiedade.

Listamos abaixo quando a ansiedade pode ajudar e quando ela pode se tornar patológica, ou seja, prejudicial ao funcionamento psíquico (mental) e somático (corporal).

Quando a ansiedade ajuda:

  • Impulsiona a buscar conquistas
  • Fica pronto para lutar ou fugir de situações limites
  • Antecipa problemas futuros
  • Deixa a pessoa em estado de alerta e atenta a perigos
  • O ser humano sobreviveu inúmeros perigos e função dessa capacidade de detectar ameaças

Atenção aos principais sintomas para Ansiedade patológica:

  • Inquietação
  • Palpitação do coração
  • Suor intenso
  • Falta de ar
  • Cansaço intenso
  • Irritabilidade
  • Tensão muscular
  • Pressão alta
  • Dor de cabeça
  • Náusea
  • Aperto no peito

Mas, então, como controlar a Ansiedade?

Controlar a ansiedade é um desafio diário, devemos descobrir o que está causando esse gatilho emocional, isso pode exigir um apoio extra, por meio de terapias, ajuda de familiares, amigos e mentores.

Algumas estratégias:

  • Sessões de Psicoterapia
  • Praticar Atividade física
  • Praticar meditação
  • Ouvir música
  • Manter uma alimentação saudável
  • Respirar profundamente
  • Dormir bem

Todos temos momentos difíceis, os obstáculos fazem parte da nossa vida, mas eles nos ajudam a crescer, tanto na vida pessoal quanto profissional, então, não permita que esses desafios se transformem em algo ruim, pelo contrário, faça deles aliados para o seu desenvolvimento, e se torne ainda mais forte.

Gostou deste conteúdo? Compartilhe com outras pessoas!

Deixe seu comentário aqui embaixo. Sua opinião é muito importante para nós!

Redação por: Érika Amorim, processo Fiscal da Mazzola Contabilidade. Graduação em Ciências Contábeis pela UNIP de Jundiaí.
Revisão por: Cíntia Calixto, processo Administração de Pessoal da Mazzola Contabilidade. Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos, pela Faculdade Anhanguera de Jundiaí

Por que pessoas comprometidas conseguem alcançar o sucesso mais rápido?

O comprometimento no ambiente de trabalho significa ser leal aos propósitos e valores de uma organização.

propósito nasce da ‘alma’ de uma empresa e revela o ‘porque’ dela existir, além do que a torna única e indispensável. 

Os valores são os princípios de uma empresa, o que faz com que ela tenha ‘vida’ e mantenha o foco para seus objetivos. É a filosofia, as atitudes e as crenças que compõe um conjunto de regras para os colaboradores cumprirem em prol de resultados positivos.

Assim como o propósito e os valores têm seus papeis essenciais em uma organização, a missão descreve a essência de uma empresa e a visão indica aonde essa empresa quer chegar ou onde ela poderá estar em alguns anos. Em resumo: os valores descrevem a cultura da empresa, o propósito inspira e dá orientação prática, sendo o porquê de a empresa existir.

Em uma organização, o comprometimento por parte do colaborador pode ser visto em diversas situações como: quando um colaborador entrega seu trabalho dentro do prazo, de forma limpa e correta; quando ele leva suas responsabilidades a sério; quando não falta; quando dá um show no atendimento ao cliente etc.

Concluindo, podemos dizer que: comprometer-se com o trabalho significa exigir de si o máximo de rendimento e de produtividade.

E como eu posso impulsionar meu comprometimento?

O colaborador que deseja crescer na empresa deve encarar sua rotina e suas tarefas com a mesma mentalidade do dono do negócio.

Assim, ele vai ter a atitude de quem se responsabiliza por suas ações e de quem busca, como objetivo maior, o bem da empresa em que ele faz parte.

Agora, irei te dar sete dicas essenciais para ajudar a aumentar o seu comprometimento:

1. Pontualidade – Um colaborador comprometido jamais perde o prazo de entrega de um trabalho sem que haja um bom motivo para isso. Portanto, a pontualidade é a chave fundamental do comprometimento.

2. Criatividade – Muitas vezes, tentamos encontrar uma solução complexa para um problema, enquanto há métodos mais simples e criativos de resolvê-los. Às vezes, basta olhar para o lado e encarar a situação por um novo ângulo.

3. Cultura da empresa – É necessário em que o colaborador conheça os processos da empresa em que ele faz parte e sua cultura para saber qual direção tomar em alguma situação. É hora de tomar para si os valores, a missão e a visão da organização.

4. Proatividade – Um colaborador que percebe uma necessidade e age de forma imediata sempre terá maior reconhecimento. Percebeu um problema, resolva imediatamente ou caso tenha dúvidas, chame seu gestor para te ajudar.

5. A melhor versão de si mesmo – Cumprir uma tarefa é diferente do que fazer o melhor possível para resolver uma demanda. E um colaborador que busca crescer e se comprometer com os resultados deve sempre ter, como objetivo, entregar o máximo de eficiência em cada uma de suas ações.

6. Comunicação – A comunicação é um dos pilares de um bom desempenho no trabalho. Quem se compromete com a qualidade, deve buscar uma comunicação plena para manter todos no mesmo nível de atuação e para minimizar a margem de erros em todas as suas ações.

7. Atualização – O mundo está em constante transformação, e a dinâmica das empresas, também. Por isso, conhecer as tendências da sua área de atuação é muito importante. Se perceber a necessidade, faça cursos para manter-se sempre informado e atualizado.

E para encerrar o texto, trago uma frase do piloto brasileiro Ayrton Senna:

“No que diz respeito ao empenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem-feita ou não faz.”

Deixe aqui nos comentários alguma questão ou sugestão que poderemos utilizar para trocar novas experiências sobre o tema. Obrigado e até a próxima!

Redação por: Leonardo Mazzola, Empresário Contábil, Advogado, Consultor Empresarial e Professor Universitário. Graduado pela Unianchieta em Contabilidade e Pós-graduado em Controladoria e Auditoria pela PUC-Campinas, possui em seu currículo, treinamentos internacionais: Disney institute, Florida Christian University em Orlando, Stanford University na Califórnia, MIT Management em Boston e McGill Executive Institute em Montreal. Sócio-diretor das empresas Mazzola Contabilidade e Mazzola Soluções.
Revisão por: Gabriella Silva, processo Contábil da Mazzola Contabilidade. Cursando Ensino Superior em Ciências Contábeis pela UNIP de Jundiaí

Epoché: Saiba o que é e porque o utilizar com seus clientes!

Aposto que você deve estar se perguntando, “O que é Epoché?”, e assim como quando ouvi pela primeira vez em uma aula na faculdade, também me despertou a curiosidade do porquê não utilizar essa técnica para atrair e manter o relacionamento com clientes no ambiente corporativo?

A palavra Epoché é de origem grega, e muito conhecida no meio da Psicologia, mais ainda na Fenomenologia trazida por um filósofo alemão chamado Husserl. A definição de Epoché por esse grande pensador, é “suspensão de juízo”, “parada”, “obstrução”. Sem mais termos técnicos, a Epoché nada mais é do que “dar uma pausa” e ouvir o outro e a sua necessidade, sem julgamentos e pré-juízos.

Mas o que isso tem a ver com empresa, empreender, clientes…?

Eu já te respondo que: tem tudo a ver!

Faz todo o sentido pensando que o cliente é um agente extremamente importante nos processos diários, é o alvo, quem eu preciso para o que o negócio possa ser sustentado, afinal, sem clientes para atender, que retorno financeiro terei e respectivamente de que maneira uma empresa consegue se destacar e ser mantida?

A maneira como se trata o cliente diz muito respeito à figura da empresa e à expectativa que ela cumpre ao ser gerada no meio social, conforme o público alvo que quero alcançar.

Costumo pensar que todos que prestam atendimento ao público deveriam ter um pouquinho da psicologia no currículo, quantas vezes alguém entra pela porta da empresa e além buscar uma assessoria, acaba também compartilhando histórias de vida, buscam ajuda e alguém para desabafar!

Aposto que você que trabalha com atendimento ao público, ao menos uma vez na vida já recebeu algum cliente que sem nem te conhecer, “desabafou” sobre si e sobre problemas que esteja passando e você pensou “mas eu nem conheço essa pessoa e ela se abriu comigo”.

Muito além de oferecer um produto ou prestar um serviço, lidamos com pessoas diariamente, pessoas essas com emoções, sentimentos, e por mais “difíceis” que sejam de lidar (sempre tem aqueles que só de ouvir o nome, já bate um “ah não!”), precisamos ter empatia e nos abster de nós e dos nossos pensamentos.

A Epoché vem trazendo exatamente essa ideia, antes de qualquer julgamento, devemos tentar pausar os nossos pensamentos e prestar atenção na demanda vindo através daquele cliente, o ouvindo e buscando entender, para aí sim, identificar e o orientar da maneira como será necessária.

Dessa maneira é possível criar um relacionamento sólido, sendo a base não só dentro de uma empresa para poder chegar à níveis altos em padrão de atendimento, mas também nas demais áreas da nossa vida, e às vezes até para autoconhecimento e lidar com nós mesmos.

Espero que assim como a mim, a Epoché também tenha te feito refletir sobre o que passar para as pessoas à volta. Que possamos aprender a prestar um atendimento humanizado, para que assim grandes metas também sejam alcançadas.

Te espero no próximo texto, até logo!

Redação por: Anna Caroline de Moraes, processo Administrativo da Mazzola Contabilidade. Cursando Psicologia pelo Anchieta
Revisão por: Gabriella Silva, processo Contábil da Mazzola Contabilidade. Cursando Ensino Superior em Ciências Contábeis pela UNIP de Jundiaí

Você precisa parar de procrastinar

Quem nunca se deparou deitado na cama, mexendo no celular, jogando, assistindo TV, atualizando o feed das redes sociais, enquanto deveria estar executando qualquer outra tarefa?! Esse tipo de comportamento tem nome: PROCRASTINAÇÃO! Esse mau hábito significa que nós temos a tendência de deixar atividades importantes e/ou que gostamos, estagnadas, fazendo qualquer outra coisa em seu lugar.

A procrastinação é um obstáculo em nosso caminho, que nos impede de atingir metas, resultados e objetivos, resultando numa grande frustação:

Para entender esse comportamento, precisamos entender primeiramente que ele está ligado aos nossos hábitos. São aquelas atividades que realizamos no dia a dia no modo “piloto automático” – de acordo com o jornalista e escritor Charles Duhigg, autor de “O Poder do Hábito”. Segundo ele, mais de 40% das nossas ações cotidianas são, na verdade, automáticas. Para qualquer atividade entrar no automático, precisamos repeti-la diversas vezes, até que fique registrada em nosso cérebro. Antes disso, ela é apenas um “novo caminho”, que gasta muita energia até ser compreendido.

            O hábito, por sua vez, funciona da seguinte maneira:

No caso da procrastinação, nosso gatilho é: fazer algo que não gostamos. Nosso hábito: sair para tomar café para esfriar a cabeça (procrastinação). Nossa recompensa: não fazer isso hoje ou naquele determinado momento.

            A recompensa se dá pela liberação de dopamina (neurotransmissor) em nosso cérebro, iniciando um processo químico interno. A dopamina é responsável pela sensação de prazer e, consequentemente, aumenta a nossa motivação. Sua falta nos leva à procrastinação, visto que já não temos mais prazer em realizar nossas atividades.

  • Por que procrastinamos?

Lembra quando falamos que criar “caminhos” em nosso cérebro é uma atividade que despende energia?! A procrastinação ocorre porque está no nosso instinto de sobrevivência economizar energia, pois o cérebro começa a trabalhar muito mais do que se estivéssemos no automático.

Além disso, temos o hábito de faltar com a nossa palavra, gerando incertezas para o futuro (“o quanto isso vai impactar na minha vida?”). Além do medo da rejeição, do processo e do resultado, por ter que abrir mão de certos momentos com cônjuge /amigos/familiares para estudar/trabalhar/exercitar-se, etc. Ou ainda medo de perder X anos de estudo, das dores que os exercícios podem causar, do dia chuvoso que vou ter que enfrentar ao sair de casa, daquela promoção desejada que talvez não venha (“e se vier, será que vou dar conta de mais trabalho?”) Enfim, todas as apreensões que rondam nossos pensamentos…

  • Como parar de procrastinar?
  1. Divida seus objetivos em pequenas metas: o famoso “devagar e sempre”. Mantenha-se firme em seus propósitos. Mudanças repentinas aumentam as chances de desistência;
  2. Celebre e estimule a dopamina: celebre cada conquista, cada meta cumprida, cada objetivo alcançado;
  3. Escolha um guardião da sua jornada: divida sua jornada com alguém, assim você terá alguém para o incentivar e estar ao seu lado quando for comemorar um objetivo conquistado. Realizar um compromisso público amplia as chances de fazer a tarefa virar hábito;
  4. Tome decisões que você só precisará tomar uma única vez: faça o certo ficar fácil e o errado ficar difícil (ex: compre frutas e deixe-as lavadas, descascadas e cortadas. Não compre doces);
  5. Encontre o seu propósito inabalável: qual é a razão pela qual você vai trabalhar todos os dias? Por que você está fazendo isso? Separado em três tópicos: EU, para NÓS (pessoas que estão ao seu lado), e para TODOS (o mundo);
  6. Crie uma frase incontestável: formule uma expressão para se lembrar todos os dias do motivo pelo qual você está fazendo isso (ex: “se fosse fácil, todo mundo faria isso”; “meu sucesso só depende de mim”, etc).

Seguindo esses passos, você conseguirá atingir a disciplina, substituindo o prazer imediato pelo prazer de longo prazo, pois, como disse Christopher Parker: “Procrastinação é igual cartão de crédito: é bem divertido, até chegar a fatura!”.

Curta, comente e compartilhe!

Até o próximo post! ☺♥

Redação por: Kethelyn Siqueira, processo Contábil da Mazzola Contabilidade. Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Paulista.
Revisão por: Pedro Paulo Gomes Ribeiro, processo Administração de Pessoal da Mazzola Contabilidade. Bacharel em Linguística, com especialização em Português e Espanhol pela Universidade de São Paulo.

Pessoa certa no lugar certo: A importância da análise do Perfil Comportamental DISC nas relações de trabalho

Cuidar de pessoas é o foco principal de um departamento de Recursos Humanos e o ponto que gera muitas dúvidas é: qual o melhor cargo para determinada pessoa?

Todos os cargos além de serem bem relatados e explicados pela Descrição Funcional precisam ser avaliados pelo diagnóstico de perfil comportamental.

Há muitos anos a Mazzola avalia sua equipe usando o teste DISC para ter um diagnóstico mais próximo do ideal do perfil de cada cargo.

O teste DISC foi desenvolvido baseando-se nas teorias do psicólogo Dr. William Moulton Marston, pelo qual avaliamos as pessoas em 4 perfis comportamentais predominantes em cada um de nós:

D – Dominance (Dominância): são as pessoas que buscam resultados, são executoras por natureza, modelando seu ambiente baseando-se em desafios e obstáculos. São pessoas muito ansiosas e buscam ter resultados imediatos, porém são pessoas que buscarão resolver os problemas a todo e qualquer custo;

I – Influence (Influência): são as pessoas que trabalham com e para pessoas. São excelentes influenciadores e comunicadores, persuadindo os demais à sua volta. Gostam de muita atenção, o reconhecimento social e das atividades em grupo, além disso são automotivadas e defensores de grandes causas;

S – Steadiness (Estabilidade): são pessoas cooperativas, excelentes ouvintes, apresentando boas soluções para conflitos, além de serem planejadoras por natureza. Buscam melhores resultados, baseando-se em fatos já comprovados que funcionam, são motivados pela possibilidade de estabilidade emocional e financeira, são pessoas altamente confiáveis;

C – Concientiousness (Conformidade): são pessoas extremamente técnicas e analistas, possuindo muita qualidade na execução das tarefas. Buscam a conformidade de forma acentuada por serem muito atentas aos detalhes. Pensam de forma analítica, sendo precisos e diplomáticos em seus comentários.

Além disso, podemos combinar os dois perfis mais relevantes de uma pessoa para encontrar qual é o estilo dela lidar com pessoas e processos, para isso temos 12 estilos diferentes combinados.

Certo, mas como isso pode ajudar o RH a colocar a pessoa certa no lugar certo?

Simplesmente fazendo a relação entre o perfil comportamental do cargo com o perfil comportamental do colaborador.

Mas como assim?

Bom, vamos lá…

Nossos estudos apontaram que existe sim um melhor perfil comportamental para cada cargo, onde verificamos se a pessoa que ocupará determinada função precisa ter maior Dominância, Influência, Estabilidade ou Conformidade sobre pessoas e processos.

Por exemplo, se pensarmos no cargo de Assistente Administrativo, função essa de grande relevância para todas as empresas, pois executa várias atividades ligadas à administração da empresa: compras de material de escritório, lidar com emissão de notas fiscais, cuidar de pessoas, cuidar de contas a pagar e a receber etc., ela precisa ter mais calma, estabilidade, planejamento, ter atenção aos detalhes e muita precisão no que será feito, assim o melhor perfil combinado para o cargo será de Estabilidade e Conformidade, ou seja, SC.

O cargo combinado SC representa o Perseverante, que é um estilo de comportamento que trabalha muito bem quando está focado em uma tarefa específica, sendo pessoas confiáveis, pois cuidarão para que todas as informações estejam corretas sempre.

Ao contratar ou promover uma pessoa a Assistente Administrativo, avalia-se se ela tem esse perfil perseverante, caso não tenha, porém possui outras qualidades, pode-se avaliar o que falta para essa pessoa ter as qualidades que o cargo requer.

São muitas as possibilidades de estilo e comportamento, por isso dedique um tempo razoável para cuidar da sua equipe.

Abaixo temos um exemplo do novo serviço que a Mazzola Soluções está oferecendo aos seus clientes:

Por meio deste relatório é possível analisar o que o cargo necessita e como é a pessoa, para assim, com o diagnóstico das competências comportamentais verificar o que é preciso cuidar para que o colaborador possa melhorar em cada item, encaixando-se no perfil comportamental exato para o cargo.

Verifica-se por este relatório que o cargo tem um match comportamental de 91,74%, ou seja, bem próximo do ideal, facilitando para o gestor treinar sua equipe onde ela realmente necessita.

Além de fazer esse match comportamental, por meio do nosso relatório conseguimos fazer uma análise completa do perfil do colaborador e do cargo:

Quer ter a análise completa de seus colaboradores na sua empresa?

Entre em contato conosco pelo telefone (11)97073-9090 ou pelo e-mail rodolfo@mazzolanet.com.br.

Ter a pessoa certa no lugar certo na sua empresa é criar oportunidades de melhoria contínua para seu negócio, é ter um melhor ambiente de trabalho, é ter pessoas engajadas e motivadas para o que elas fazem de melhor.

Traga soluções para sua empresa!

Até breve!

Redação por: Rodolfo Mazzola, sócio da Mazzola Contabilidade e Mazzola Soluções.; Graduação em Ciências da Computação e Ciências Contábeis pelo Unianchieta.
Revisão por: Cíntia Calixto, processo Administração de Pessoal da Mazzola Contabilidade. Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos, pela Faculdade Anhanguera de Jundiaí

Os 4 segredos da prosperidade

Vivemos um momento ímpar em nossa sociedade, onde a fragilidade e a ansiedade das pessoas fazem com que tenhamos uma não linearidade de fatos, ou seja, não há controle e conexões visíveis, criando um momento de incompreensibilidade.

Em 2018, foi identificado que este novo momento é chamado de FANI: FRÁGIL, ANSIOSO, NÃO LINEAR e INCOMPREENSÍVEL.

E hoje, após uma pandemia vivenciada da COVID19, vemos esse mundo em evidência, porém não podemos parar simplesmente nossa vida diante de toda essa fragilidade e ansiedade do mundo e sim buscar a nossa prosperidade de vida.

Mas afinal, o que é ter uma vida próspera?

Ter uma vida próspera é fazer o melhor que você pode, com as habilidades e atitudes que você possui para entregar o seu melhor ao mundo, buscando melhorar a cada dia, aprendendo sempre e dando soluções aos desafios encontrados.

Além disso, uma vida próspera é quando você sai da zona de conforto, resiste aos momentos ruins que te fariam abandonar uma oportunidade e por fim você compartilha essa experiência com o mundo.

Sem mais delongas, e sendo objetivo, os 4 segredos para encontrar a prosperidade da vida são: PROPÓSITO, AMBIÇÃO, AUTOCONFIANÇA e AUDÁCIA.

PROPÓSITO

Ter um propósito na vida é o ponto de partida para ter-se uma vida próspera!

Propósito é o que te faz querer mais, é o que te faz acordar pela manhã e fazer acontecer, é o que te faz encontrar solução para os problemas e enfrentar cada desafio como uma oportunidade de crescimento pessoal.

Simon Sinek, em seu livro COMECE PELO PORQUÊ, explica que uma vida com sentido está no senso do propósito, pois elas poderão dar o melhor de si a cada dia em favor de uma causa nobre e específica.

Quem passa pelo mundo não sabendo qual o seu sentido na vida, leva uma vida dura, às vezes amarga, às vezes doce, porém sem rumo, afinal: “Se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve”, já dizia o gato em Alice no País das Maravilhas.

Assim, ter um propósito na vida é ter a clareza de saber o porquê você faz o que faz, é ter a convicção do que está fazendo é o certo para sua vida, para que você almeje sonhos maiores e crescentes, afinal a prosperidade é quando você pega o seu propósito de vida e vai ao encontro de uma oportunidade de sucesso.

Mas como descobrir o seu propósito de vida?

Essa é uma das perguntas mais difíceis de serem respondidas, porém é ela que fará você encontrar sua prosperidade.

Vamos lá à algumas dicas:

  1. Você já pensou no que te motiva todo dia?
  2. O que mais te anima e te deixa entusiasmado para executar suas tarefas?
  3. O que te deixa feliz?
  4. Como você se define?
  5. E por fim, qual o legado que você quer deixar no mundo?

São 5 perguntas que merecem toda a sua atenção, e pode ter certeza de que a partir do momento que você encontra o seu propósito na vida, todo o resto fará sentido.

O propósito é a base de tudo para você prosperar e criar uma vida com mais sentido e humanidade, como já dizia o filósofo Aristóteles: “Propósito é quando os seus talentos encontram as necessidades do mundo”.

A dica final para você encontrar a seu propósito é: volte às suas origens e veja o que você fez de melhor na vida regressa que alegrou as pessoas que te amam e são a razão da sua existência, não busque seu propósito no mundo externo, ele está dentro de você.

Caso queira se aprofundar mais, recomendo a leitura dos dois livros de Simon Sinek, COMECE PELO PORQUÊ e ENCONTRE O SEU PORQUÊ.

Tudo na sua vida começa pelo PROPÓSITO!

AMBIÇÃO

Ambição é o anseio de alcançar determinado objetivo de obter sucesso, é quando você deseja fortemente conquistar algo. Esta conquista pode ser ganhos financeiros, uma melhor posição no ambiente de trabalho ou até mesmo um estilo de vida combinando com seus ideais.

A ambição é o que te faz crescer e buscar sempre mais, afinal ela será o combustível do seu sucesso, pois sua ambição é o que você quer TER quando crescer.

Quando você atinge a prosperidade, alimentando sua alma com sucesso, significa que você teve a ambição certa para crescer na vida.

Mas vamos lá, e é muito importante que você saiba que ter ambição sem ter um propósito bem definido é GANÂNCIA.

A ganância leva às pessoas a uma vida fraca, sem sentido, criando uma vida ruim, além disso ela é inimiga da prosperidade, pois a pessoa tem até ganhos momentâneos, mas não sabendo o que fazer com ele, leva-se uma vida sem prosperidade.

Baseando no seu propósito de vida, o que você quer TER quando crescer?

AUTOCONFIANÇA

Autoconfiança é quando você sabe o que pode fazer para conquistar seu sucesso e sua prosperidade, pois você entende que só depende dos seus conhecimentos, do seu propósito e da sua ambição para ser quem você deseja SER na vida.

Quando você tem convicção que pode fazer o que precisa ser feito para realizar algo, você tem sua autoconfiança sob controle.

Mas veja, ter autoconfiança, primeiramente, requer que você se prepare, estude, aprenda, avalie, reavalie e se conheça muito bem.

Assim a autoconfiança faz com que você tenha prazo de conclusão para acontecer o que você quer, por isso seja específico e saiba o porquê você quer o quer.

Muito cuidado com excesso de autoconfiança, pois ela em demasia cria-se a ARROGÂNCIA, e de nada adianta ser autoconfiante ao extremo e não confiar nas pessoas, pois lembre-se você não sabe de tudo.

Invista em você, pois o aprendizado contínuo te levará à prosperidade. Como dizia Steve Jobs: “Permaneça faminto, permaneça tolo”, ou seja, esteja sempre faminto para aprender mais e esteja tolo para não se sentir a pessoa que sabe de tudo, tenha a humildade de aprender coisas novas todos os dias.

Seja autêntico na vida, pois o mais importante não é o que você já sabe e sim o tamanho da sua disposição para aprender o que você não sabe.

Tomando como base seu propósito, o que você quer SER quando crescer?

AUDÁCIA

Audácia é arriscar para fazer aquilo que precisa ser feito e aquilo que você quer que aconteça na sua vida próspera, acreditando que vai dar certo.

Se você tem um propósito bem definido, sabe onde quer chegar e tem o conhecimento necessário para isso, então é necessário ter coragem e audácia para executar as ações para ter-se uma vida próspera.

Santos Dumont, Walt Disney, Steve Jobs, Elon Musk, Martin Luther King, Alexander Graham Bell e Leonardo da Vinci são exemplos de pessoas audaciosas.

A principal característica entre eles é que todos possuíam um propósito de vida bem definido, para que pudessem planejar o que precisava ser feito para que fossem lembrados por muitos e muitos anos.

Todos foram resilientes e determinados a executar seu propósito de vida, pois audácia sem propósito é AVENTURA, mas audácia com propósito é impulso para a realização de ações extraordinárias.

Por fim, ser audacioso é usar sua autoconfiança para buscar aquilo que você ambiciona!

Mas lembre-se, o seu propósito é a base de tudo.

A pergunta final é: com base no seu propósito, o que você quer FAZER quando crescer?

RESUMO

  • os 4 segredos de uma vida próspera são: PROPÓSITO, AMBIÇÃO, AUTOCONFIANÇA e AUDÁCIA;
  • a base de uma vida próspera começa pelo propósito;
  • ambição é o desejo intenso de buscar determinadas metas e objetivos;
  • ambição sem propósito é ganância;
  • autoconfiança é aquilo que você sabe que pode fazer;
  • autoconfiança sem propósito é arrogância;
  • audácia é arriscar para fazer aquilo que você quer fazer, acreditando que vai dar certo;
  • audácia sem propósito é aventura.

Chegamos ao fim de mais um post, espero ter contribuído para que você persiga sua vida próspera, afinal “os dias prósperos não vêm por acaso; nascem de muita fadiga e persistência”, Henry Ford.

Se você gostou deste post, curta e compartilhe!

Até breve!

Redação por: Rodolfo Mazzola, sócio da Mazzola Contabilidade e Mazzola Soluções.; Graduação em Ciências da Computação e Ciências Contábeis pelo Unianchieta.
Revisão por: Cíntia Calixto, processo Administração de Pessoal da Mazzola Contabilidade. Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos, pela Faculdade Anhanguera de Jundiaí

A Inteligência Emocional e Psicologia Positiva nas relações humanas

Será que sua mente está preparada para toda pressão psicológica que a sociedade lhe impõe diariamente?

No texto de hoje quero falar com você sobre Inteligência Emocional e a Psicologia Positiva nas relações humanas, pois senti a necessidade de compartilhar o que penso e o que sinto sobre a atualidade do mundo.

Vivemos hoje um momento em que somos testados a cada instante e será que isso está nos fazendo bem?

Muito se fala que a depressão é a doença do século e ela acontece muitas vezes pela pressão que a sociedade impõe sobre as pessoas, muitas vezes de forma cruel e avassaladora, querendo criar pessoas perfeitas, sem deslizes e erros.

As Olímpiadas de Tokio 2020 nos mostraram o quanto a sociedade pode ser cruel, fazendo pressão pela perfeição e querendo criar pessoas que não cometem erros.

Mas sim, erramos! E isso é normal e não é uma sociedade que julga o que é correto para sua vida e sim você mesmo deve saber o que é melhor para o seu bem-estar e sua mente.

Vimos nessas Olímpiadas a atleta da ginástica artística, Simone Biles, desistindo da disputa por medalhas simplesmente porque ela cometeu um erro em seu primeiro salto no seu primeiro aparelho, o que demonstrou a fragilidade da mente humana sendo pressionada pela perfeição.

Felizmente, o Comitê Olímpico Americano decidiu cuidar da mente de Simone e acatou sua decisão, pois mais importante que uma medalha é cuidar da mente de suas atletas.

Somos pressionados diariamente em nossa profissão, em nossa família e pela sociedade em geral, mas somos humanos, podemos errar, o importante é reconhecer o erro e recomeçar, e não há nada de ruim nisso, pois o reconhecimento do erro mostra Inteligência Emocional, mostra que somos resilientes e podemos recomeçar.

A resiliência, termo emprestado pela física à psicologia, que significa voltar ao estado normal, ou seja, voltar-se ao seu estado habitual de saúde, tanto física quanto mental, após sofrer uma pressão psicológica.

Hoje, além de resilientes, temos que ser transcendentes, pois não podemos somente voltar ao estado normal de saúde mental, temos que aprender com essa pressão psicológica sofrida e mudar nosso comportamento para criarmos uma estrutura forte em nossa mente para que tal fato não ocorra da mesma forma, mas sim de forma mais preparada.

Como diz o ditado popular: “Só não se dá jeito para a morte”, pois enquanto estivermos vivos iremos errar e iremos recomeçar, porém criaremos aprendizados ao longo da vida que nos possibilitarão cometer erros diferentes, o que não podemos é nos abater com erros e sim criar nosso acervo de aprendizados.

Vimos, também, nas Olimpíadas de Tokio de 2020 a superação de obstáculos, superação de erros e construção de medalhas que jamais será esquecida em todos os jogos Olímpicos daqui para frente.

Pela primeira vez na história vimos o skate se tornar um esporte Olímpico, além disso vimos 3 adolescentes “brincarem” e ganharem suas medalhas: ouro, prata e bronze, mostrando ao mundo o pódio mais jovem da história.

E o mais legal disso tudo, a prata é nossa, a prata é da “Fadinha” Rayssa Leal!

Ela brincou, por isso conseguiu ganhar sua medalha, longe da pressão da sociedade em geral, ela fez o que ama fazer, com muita competência, qualidade e o mais importante com leveza, dançando e conquistando o mundo com seu sorriso e seu jeitinho humilde, uma criança que conquistou nossos corações.

E o que falar de Rebeca Andrade? Prova viva que a Inteligência Emocional e a Psicologia Positiva fizeram e fazem parte de toda sua trajetória. Menina humilde, criada por uma mãe solo e mais 7 irmãos, sofreu várias cirurgias no joelho e pensou em desistir várias vezes, porém uma rede de amigos, familiares e treinadores apoiaram sua jornada até se sagrar Campeã Olímpica!

Rebeca levou sua essência e seu Baile de Favela para o mundo, provou que é possível sonhar e que sua fé e sua mente são as responsáveis pelos excelentes resultados obtidos.

Como disse Rebeca, em uma de suas entrevistas após ter ganho o Ouro Olímpico no Salto na Ginástica Artística: “Eu sabia o que fazer, eu treinei muito, então deixei minha mente concentrada e fui me divertir”. E o resultado veio: “É ouro! É ouro!”, como disse Galvão Bueno.

E não estou falando de perfeição, pois Rebeca e Rayssa ganharam suas medalhas, cometendo erros, porém aprenderam, criaram aprendizados e encantaram o mundo!

É isso que precisamos em nossas relações humanas, mais leveza, menos pressão e buscando focar nos 95% em que somos bons, que fazemos com carinho e qualidade, assim deixamos os 5% em que não somos tão bons, de lado, pois focaremos no positivo.

Trabalhar e estudar muito, além de treinar incansavelmente, mostram que podemos nos divertir, pois sabemos o que fazer e quando fazer!

Eu convido você a cuidar da sua mente com muita Inteligência Emocional, buscando na Psicologia Positiva ser transcendente para levar uma vida mais leve, mais divertida e mais feliz, e como diria Gil do Vigor: “Regozije e Vigore”, ou seja, seja alegre, contentem-se com sua vida, porém viva ela intensamente, com muito vigor e mais potência!

Deixe os “haters” de fora da sua vida, além disso, não seja um “hater” da sua própria vida, ame ela a cada instante, pois você é um vencedor, vencedor da vida!

Busque na Psicologia Positiva elogiar-se mais, cuidar-se mais, amar-se mais, divertir-se mais, pois é a sua vida que importa. Seja um “lover” por natureza, seja gentil e carinhoso, focando sempre que podemos errar, mas esses erros serão degraus para uma vida maravilhosa e plena que temos pela frente.

A felicidade está na jornada e não no destino, por isso viva sua vida com mais amor, apreciando cada paisagem que passar no seu caminho, aproveite a vida e como diria Mahatma Gandhi: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”.

Muito obrigado por ter chegado até aqui comigo nesta jornada, meu desejo é que tenhamos mais “Fadinhas” e mais “Rebecas” em nosso meio, levando uma vida com mais leveza, mais diversão e mais amor, porém com muita intensidade de viver a vida!

Se você gostou desse texto, deixe seu comentário, compartilhe com seus amigos, com sua família e com a sociedade, para que possamos ter um mundo mais tranquilo e mais leve.

Até a próxima!

Redação por: Rodolfo Mazzola, sócio da Mazzola Contabilidade e Mazzola Soluções.; Graduação em Ciências da Computação e Ciências Contábeis pelo Unianchieta.
Revisão por: Cíntia Calixto, processo Administração de Pessoal da Mazzola Contabilidade. Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos, pela Faculdade Anhanguera de Jundiaí

Como anda a sua aposentadoria?

No texto de hoje vamos falar um pouco sobre a Previdência! Um assunto bem delicado, porém, nada que nós não possamos te ajudar entender. Fique à vontade e tenha uma ótima leitura…

Logo de início gostaria de fazer uma simples pergunta: “Você já vem se preparando/guardando dinheiro para a aposentadoria?”

“Ah Kethelyn, a empresa em que eu trabalho já desconta o INSS do meu Holerite, não preciso me preocupar com isso!”

Sim, eu sei disso. Mas e se eu te disser que isso não te dá garantia de uma aposentadoria com renda igual à que você contribui… você acredita?! Calma, não surte ainda!!

Para te explicar o porquê, vou te mostrar uns gráficos:

            Fonte: IBGE, acesso em 11/12/2020 – https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/

O primeiro gráfico mostra como era a pirâmide etária do Brasil em 2010, na qual podemos observar que tínhamos menos idosos e mais jovens em nosso país.

A tendência é que, com o avanço da tecnologia, medicina e outros hábitos saudáveis, a expectativa de vida aumente cada vez mais. Como podemos observar na pirâmide etária de 2060 (se é que podemos de chamar de pirâmide!), teremos uma queda na natalidade no país versus um aumento considerável na expectativa de vida.

Isso impacta diretamente no sistema previdenciário do nosso país, porque teremos mais pessoas aposentadas do que pessoas trabalhando e contribuindo com o INSS. Por conta disso, a crença de que “o que vem descontado de INSS na folha de pagamento garante minha aposentadoria no futuro” é falha. Ao contrário do que muitos pensam, a sua contribuição de hoje apenas está pagando os beneficiários de hoje! Ou seja, sua aposentadoria de amanhã dependerá dos contribuintes de amanhã!

Lembrando que eu não estou querendo que você pare de contribuir com o INSS. Afinal, além da aposentadoria, você pode contar com diversos benefícios, como: Salário Maternidade, Auxílio Acidente, Pensão por Morte, Auxílio-Doença, Auxílio Reclusão, Salário Família, entre outros que podem ser consultados no site do próprio INSS: https://antigo.inss.gov.br/beneficios/.

O melhor a fazer no momento é se planejar para que você possa viver tranquilamente na melhor idade! Para te ajudar a entender, fizemos algumas simulações:

  1. Suponhamos que você tenha 25 anos, pretende se aposentar com 65 anos e ter R$ 800.000,00 em sua conta bancária:

• Aplicação que renda 1% a.m – sua aplicação mensal deverá ser de R$ 68,00;

• Aplicação que renda 0,5% a.m – sua aplicação mensal deverá ser de R$ 401,70.

2. Porém, se você tiver 45 anos:

• Aplicação que renda 1% a.m – sua aplicação mensal deverá ser de R$ 808,70;

• Aplicação que renda 0,5% a.m – sua aplicação mensal deverá ser de R$ 1.731,40.

            Em resumo, podemos notar duas questões importantes: “quanto maior forem seus rendimentos, melhor” e “quanto mais cedo começar, melhor”.

            Para obtermos melhores rendimentos, é necessário adquirir conhecimentos sobre investimentos e as diversas alternativas que temos disponíveis no mercado, bem como os riscos e retorno que eles proporcionam.

Por outro lado, toda a diferença também decorre do “custo do tempo”, ou seja, quanto mais você demora para iniciar, maiores deverão ser seus aportes mensais e vice-versa. Apesar disso, nunca se esqueça que o melhor momento sempre será o agora e que nunca será tarde para começar!

Se juntarmos essas duas premissas, teremos o início da fórmula para a independência financeira! E agora, eu te pergunto: “Está esperando o que para começar?!”

Gostou deste conteúdo? Compartilhe com outras pessoas!

Não esqueça de deixar seu comentário aqui embaixo, sua opinião é extremamente importante para nós. Curte, comente e compartilhe.

Até o próximo post. ☺♥

Redação por: Kethelyn Siqueira, processo Contábil da Mazzola Contabilidade. Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Paulista.
Revisão por: Pedro Paulo Gomes Ribeiro, processo Administração de Pessoal da Mazzola Contabilidade. Bacharel em Linguística, com especialização em Português e Espanhol pela Universidade de São Paulo.

O papel da inteligência emocional em momentos de crise

Nesse novo período de pandemia, você provavelmente deve estar se perguntando “Como posso pensar em gestão emocional diante da situação conturbada em que estamos vivendo?”.  

É claro que inegavelmente há um novo padrão de “normal”, e que se adaptar para essa diferente forma de viver não têm sido nem um pouco fácil.

Manter a conservação de sua saúde mental e aplicá-la no ambiente corporativo atualmente parece mais do que nunca um desafio. E que desafio, não?!

Então vamos começar entendendo: O que é Inteligência Emocional?

De acordo com a Psicologia, Inteligência Emocional é a capacidade de compreender e gerenciar suas próprias emoções. Sabendo lidar com as nossas emoções é possível ter resultados positivos em vários âmbitos de nossas vidas, desde nossas relações interpessoais até aprender a lidar melhor com os sentimentos e as emoções das outras pessoas de forma mais empática, o que é fundamental na liderança de uma empresa.

Aqui estão algumas dicas de como administrar as emoções diante de um momento de crise tão grande quanto ao que estamos enfrentando atualmente:

  1. Procure ajuda

Reconhecer que precisa de ajuda é um grande passo. Um profissional com inteligência emocional é capaz de reagir melhor frente à um desafio, resolver conflitos ou situações de alta pressão, além de evoluir pessoal e profissionalmente, pois saberá conduzir uma equipe e empresa, evitando assim frustrações futuras.

2. Conheça suas emoções

Lucyna Bolin, Gestora de Desenvolvimento de Talentos do PageGroup, destaca a importância de se fazer uma autoavaliação. “Pergunte a si mesmo quais são os 5 principais componentes para atingir a inteligência emocional, peça feedback aos outros, reflita mais acerca de si próprio e seja mais honesto consigo mesmo”. Conhecer nossas emoções é caminhar para a evolução, pois à medida em que eu as compreendo, também saberei conduzi-las com eficácia.

Identificar quais sentimentos são empecilhos para o crescimento profissional, faz toda a diferença para manter o equilíbrio e dominância de cada um deles. Em outras palavras, uma pessoa que tem uma boa inteligência emocional é capaz de pensar, sentir e agir de forma ágil e consciente, sem deixar que as emoções controlem sua vida.

3. Mantenha-se motivado

Busque alternativas. É nítido como viver em meio à uma pandemia fez com que várias empresas saíssem de sua ‘zona de conforto’ e grandes empresários enxergaram isso como uma forma de crescer profissionalmente. A Internet foi uma grande aliada nesse momento e olhar para a dificuldade como oportunidade pode sim levar ao sucesso.

4. Invista em profissionais que entendam do assunto

 Há diversos profissionais preparados que podem ajudar em um ambiente corporativo, investir em um psicólogo organizacional ou até profissionais em Coaching podem ajudar à entender e ter o direcionamento de quais são os pontos positivos e negativos para poder desenvolvê-los com exatidão e assertividade. 

Ao unir esses aspectos podemos compreender, desenvolver e aprimorar o que chamamos de saúde mental, para poder ir além do convencional. 

Não se manter na zona de conforto ou simplesmente se acomodar em que as “coisas não vão bem e eu não tenho o que fazer” não é uma opção, não é mesmo?

Não desista de seu negócio pelas dificuldades, afinal, você não está sozinho! Conte com a Mazzola Soluções para alternativas antes de qualquer tomada de decisão. Temos total assessoria e o apoio que precisar para garantir o sucesso, pois nos preocupamos com sua empresa! 

Gostou deste conteúdo? Compartilhe ele com outras pessoas!

Não esqueça de deixar seu comentário aqui embaixo, sua opinião é extremamente importante para nós.

Redação por: Anna Caroline de Moraes, processo Administrativo da Mazzola Contabilidade. Cursando Psicologia pelo Anchieta.
Revisão por: Gabriella Silva, processo Contábil da Mazzola Contabilidade. Cursando Ensino Superior em Ciências Contábeis pela UNIP de Jundiaí

Como investir no capital humano da sua empresa e motivar a sua equipe?

Primeiramente, gostaria de começar este artigo lançando os seguintes questionamentos: Você já ouviu falar em Capital Humano? Sabe o que é? Quer saber como ele pode agregar no seu negócio? Então, é só continuar lendo esse texto!

“O mais valioso dos capitais é aquele investido em seres humanos”.

E é com essa frase de Alfred Marshall que iniciamos a nossa reflexão.

Vivemos atualmente em um cenário repleto de incertezas, obstáculos, instabilidade econômica, política e social.

Devido a isso, mais do que nunca devemos valorizar o capital humano. Temos que ter as pessoas como uma das nossas maiores prioridades. Uma empresa é formada por pessoas, junto com suas competências, conhecimento e habilidades. A soma disso, mais a cultura organizacional é o chamado capital humano.

Esse conjunto de competências, conhecimentos e habilidades é imprescindível para garantir o sucesso de um negócio. É preciso entender que além de investir em tecnologia e na satisfação dos clientes, deve-se investir também na satisfação de sua equipe! Afinal, isso impacta diretamente um no outro e reflete no desempenho da sua organização.

Por isso, esteja atento em como está a parte interna da sua organização! Você investe no capital humano da sua empresa? Seu time está motivado?

Para te ajudar, separamos algumas dicas de como você pode investir no capital humano do seu empreendimento, valorizando e motivando a sua equipe! Confira abaixo:

  • Invista em Treinamentos: Conhecimento nunca é demais! Por isso invista em cursos, workshops, palestras e treinamentos que agreguem no desenvolvimento profissional dos seus colaboradores, e no seu negócio também. Ao fazer isso, você acaba trazendo motivação, tornando-os ainda melhores em suas funções, e gerando credibilidade para o seu negócio.
  • Tenha um RH estruturado: o RH é o departamento responsável por cuidar dos colaboradores e estabelecer uma conexão entre todas as pessoas da organização. Além disso, tem como uma de suas funções, auxiliar na motivação do elenco, através da estruturação de um plano de cargos e salários e um planejamento de crescimento individual dentro da empresa. Isso só afirma para seu time que você se preocupa com cada um e quer que todos sejam capazes de crescer juntamente com a empresa.
  • Prêmios e bonificações: Uma das opções possíveis é oferecer incentivos financeiros, tais como prêmios e bonificações, quando houver conquista de resultados ou metas, por exemplo. Com isso, você demonstra o seu reconhecimento e valorização do colaborador com a organização.

Além disso, investir no capital humano só trará benefícios, tais como:

  • Redução de falhas;
  • Retenção de talentos;
  • Aumento do Retorno sobre o Investimento (ROI);
  • Aumento da produtividade;
  • Motivação e engajamento da equipe;
  • Desenvolvimento das competências, habilidades e conhecimento.

Vale lembrar que com a equipe motivada, cria-se uma cultura onde todos estejam envolvidos, engajados e alinhados com um objetivo em comum, o que ocasiona a motivação pessoal, e reflete na produtividade e entrega do seu serviço/produto, promovendo a satisfação dos seus clientes. Tenha a certeza de que esse investimento só tem a agregar e trará benefícios. 

Não importa se a sua empresa tem um, dez ou cinquenta funcionários, ou se a sua empresa é formada por uma EUquipe (ou seja, você é sua própria equipe). Tenha em mente que o capital humano é um fator decisivo para o sucesso do seu negócio. Por isso, invista e valorize o capital humano do seu negócio e colherá os frutos.

Gostou deste conteúdo? Compartilhe ele com outras pessoas!

Não esqueça de deixar seu comentário aqui embaixo, sua opinião é extremamente importante para nós.

Até o próximo artigo! 😉

Redação por: Gisele Rossani, processo Comercial e Marketing da Mazzola Contabilidade. Graduação em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda pela UNIP de Jundiaí
Revisão por: Daiane Alegro Guido, processo Financeiro da Mazzola Contabilidade. Graduação em Ciências Contábeis pela Anhanguera, e Pós Graduação em Controladoria e Finanças pelo SENAC.