A Inteligência Emocional e Psicologia Positiva nas relações humanas

Será que sua mente está preparada para toda pressão psicológica que a sociedade lhe impõe diariamente?

No texto de hoje quero falar com você sobre Inteligência Emocional e a Psicologia Positiva nas relações humanas, pois senti a necessidade de compartilhar o que penso e o que sinto sobre a atualidade do mundo.

Vivemos hoje um momento em que somos testados a cada instante e será que isso está nos fazendo bem?

Muito se fala que a depressão é a doença do século e ela acontece muitas vezes pela pressão que a sociedade impõe sobre as pessoas, muitas vezes de forma cruel e avassaladora, querendo criar pessoas perfeitas, sem deslizes e erros.

As Olímpiadas de Tokio 2020 nos mostraram o quanto a sociedade pode ser cruel, fazendo pressão pela perfeição e querendo criar pessoas que não cometem erros.

Mas sim, erramos! E isso é normal e não é uma sociedade que julga o que é correto para sua vida e sim você mesmo deve saber o que é melhor para o seu bem-estar e sua mente.

Vimos nessas Olímpiadas a atleta da ginástica artística, Simone Biles, desistindo da disputa por medalhas simplesmente porque ela cometeu um erro em seu primeiro salto no seu primeiro aparelho, o que demonstrou a fragilidade da mente humana sendo pressionada pela perfeição.

Felizmente, o Comitê Olímpico Americano decidiu cuidar da mente de Simone e acatou sua decisão, pois mais importante que uma medalha é cuidar da mente de suas atletas.

Somos pressionados diariamente em nossa profissão, em nossa família e pela sociedade em geral, mas somos humanos, podemos errar, o importante é reconhecer o erro e recomeçar, e não há nada de ruim nisso, pois o reconhecimento do erro mostra Inteligência Emocional, mostra que somos resilientes e podemos recomeçar.

A resiliência, termo emprestado pela física à psicologia, que significa voltar ao estado normal, ou seja, voltar-se ao seu estado habitual de saúde, tanto física quanto mental, após sofrer uma pressão psicológica.

Hoje, além de resilientes, temos que ser transcendentes, pois não podemos somente voltar ao estado normal de saúde mental, temos que aprender com essa pressão psicológica sofrida e mudar nosso comportamento para criarmos uma estrutura forte em nossa mente para que tal fato não ocorra da mesma forma, mas sim de forma mais preparada.

Como diz o ditado popular: “Só não se dá jeito para a morte”, pois enquanto estivermos vivos iremos errar e iremos recomeçar, porém criaremos aprendizados ao longo da vida que nos possibilitarão cometer erros diferentes, o que não podemos é nos abater com erros e sim criar nosso acervo de aprendizados.

Vimos, também, nas Olimpíadas de Tokio de 2020 a superação de obstáculos, superação de erros e construção de medalhas que jamais será esquecida em todos os jogos Olímpicos daqui para frente.

Pela primeira vez na história vimos o skate se tornar um esporte Olímpico, além disso vimos 3 adolescentes “brincarem” e ganharem suas medalhas: ouro, prata e bronze, mostrando ao mundo o pódio mais jovem da história.

E o mais legal disso tudo, a prata é nossa, a prata é da “Fadinha” Rayssa Leal!

Ela brincou, por isso conseguiu ganhar sua medalha, longe da pressão da sociedade em geral, ela fez o que ama fazer, com muita competência, qualidade e o mais importante com leveza, dançando e conquistando o mundo com seu sorriso e seu jeitinho humilde, uma criança que conquistou nossos corações.

E o que falar de Rebeca Andrade? Prova viva que a Inteligência Emocional e a Psicologia Positiva fizeram e fazem parte de toda sua trajetória. Menina humilde, criada por uma mãe solo e mais 7 irmãos, sofreu várias cirurgias no joelho e pensou em desistir várias vezes, porém uma rede de amigos, familiares e treinadores apoiaram sua jornada até se sagrar Campeã Olímpica!

Rebeca levou sua essência e seu Baile de Favela para o mundo, provou que é possível sonhar e que sua fé e sua mente são as responsáveis pelos excelentes resultados obtidos.

Como disse Rebeca, em uma de suas entrevistas após ter ganho o Ouro Olímpico no Salto na Ginástica Artística: “Eu sabia o que fazer, eu treinei muito, então deixei minha mente concentrada e fui me divertir”. E o resultado veio: “É ouro! É ouro!”, como disse Galvão Bueno.

E não estou falando de perfeição, pois Rebeca e Rayssa ganharam suas medalhas, cometendo erros, porém aprenderam, criaram aprendizados e encantaram o mundo!

É isso que precisamos em nossas relações humanas, mais leveza, menos pressão e buscando focar nos 95% em que somos bons, que fazemos com carinho e qualidade, assim deixamos os 5% em que não somos tão bons, de lado, pois focaremos no positivo.

Trabalhar e estudar muito, além de treinar incansavelmente, mostram que podemos nos divertir, pois sabemos o que fazer e quando fazer!

Eu convido você a cuidar da sua mente com muita Inteligência Emocional, buscando na Psicologia Positiva ser transcendente para levar uma vida mais leve, mais divertida e mais feliz, e como diria Gil do Vigor: “Regozije e Vigore”, ou seja, seja alegre, contentem-se com sua vida, porém viva ela intensamente, com muito vigor e mais potência!

Deixe os “haters” de fora da sua vida, além disso, não seja um “hater” da sua própria vida, ame ela a cada instante, pois você é um vencedor, vencedor da vida!

Busque na Psicologia Positiva elogiar-se mais, cuidar-se mais, amar-se mais, divertir-se mais, pois é a sua vida que importa. Seja um “lover” por natureza, seja gentil e carinhoso, focando sempre que podemos errar, mas esses erros serão degraus para uma vida maravilhosa e plena que temos pela frente.

A felicidade está na jornada e não no destino, por isso viva sua vida com mais amor, apreciando cada paisagem que passar no seu caminho, aproveite a vida e como diria Mahatma Gandhi: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”.

Muito obrigado por ter chegado até aqui comigo nesta jornada, meu desejo é que tenhamos mais “Fadinhas” e mais “Rebecas” em nosso meio, levando uma vida com mais leveza, mais diversão e mais amor, porém com muita intensidade de viver a vida!

Se você gostou desse texto, deixe seu comentário, compartilhe com seus amigos, com sua família e com a sociedade, para que possamos ter um mundo mais tranquilo e mais leve.

Até a próxima!

Redação por: Rodolfo Mazzola, sócio da Mazzola Contabilidade e Mazzola Soluções.; Graduação em Ciências da Computação e Ciências Contábeis pelo Unianchieta.
Revisão por: Cíntia Calixto, processo Administração de Pessoal da Mazzola Contabilidade. Tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos, pela Faculdade Anhanguera de Jundiaí

One thought to “A Inteligência Emocional e Psicologia Positiva nas relações humanas”

  1. Rodolfo
    Excelente texto.
    Muito consistente, com exemplos atuais de nossas boas referências no momento.
    Parabens pela muito boa elaboração! Comecei muito bem meu dia com esta leitura!
    L. Muller

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.